Como os mais pobres devem pagar a conta da criação de benefícios sociais – A Gazeta / Prof.ª Dr.ª Arilda Teixeira

A proposta de emenda à Constituição (PEC) aprovada e promulgada pelo Congresso, que prevê, por exemplo, um aumento do valor do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600 e a criação de um “voucher” de R$ 1 mil para caminhoneiros autônomos até o fim do ano, pode não ser tão vantajosa para as famílias mais pobres quanto parece à primeira vista.

A chamada PEC “Kamikaze” aumentou em pelo menos R$ 41,2 bilhões os gastos do governo federal com benefícios sociais a serem pagos até o final deste ano.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Patrícia Meireles

Comunicação Fucape

Compartilhe

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Artigos Relacionados

Skip to content