Breve Histórico Sobre A Origem Da Experiência No Brasil

Em 2008, a Fundação Itaú Social realizou pesquisa de campo sobre a reforma educacional de Nova York, em parceria com o Instituto Fernand Braudel. Uma das questões detalhadas no estudo foi como a aproximação família-escola se tornou um dos eixos estruturantes da reforma educacional naquela cidade, iniciada em 2003. Cada uma das 1.100 escolas da rede nova-iorquina recebeu um coordenador de pais, com dedicação integral voltada ao relacionamento com famílias, além de apoio ao acompanhamento de alunos com problemas de comportamento.

Mesmo após mudanças de secretários de educação e prefeitos, inclusive de partidos distintos, e períodos de cortes em orçamento, a iniciativa tem sido preservada em sua integralidade. A equipe de pesquisa acompanhou a rotina de trabalho desses profissionais e pôde observar o suporte estratégico que dão à gestão escolar.

Muitas vezes membros da própria comunidade local, os coordenadores de pais se tornaram rapidamente o braço direito da equipe gestora no relacionamento com as famílias, sobretudo com aquelas em situação mais vulnerável. A alta aprovação por parte de equipes escolares e famílias garantiu a continuidade da função mesmo em tempos de crise. Em 2009, em uma parceria com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, teve início um piloto da iniciativa em dez escolas na zona leste da capital que, durante três anos, tiveram coordenadores de pais, contribuindo para o desenvolvimento da metodologia para o contexto brasileiro.

O coordenador de pais tem como principal propósito ser um elo entre a escola, a família e a comunidade, desenvolvendo ações que propiciem e facilitem a entrada e o envolvimento das famílias no cotidiano escolar e os auxilie a melhor acompanhar e apoiar o aprendizado de seus filhos.

Suas ações são voltadas para pais ou outros familiares responsáveis pelos estudantes, independentemente do arranjo familiar em que a criança ou o adolescente esteja inserido. As atribuições assumidas pelo coordenador de pais dialogam com a realidade e necessidades de cada escola e contam sempre com a aprovação da gestão da escola (diretor e pedagogos). Essa parceria é fundamental para a legitimação da função e atuação do profissional. É também essencial para a sustentabilidade e efetividade da iniciativa.

O coordenador de pais não pode se tornar a única pessoa responsável pelo relacionamento com as famílias, mas sim um facilitador importante de um processo que não é só dele. Assim, o diretor vai precisar garantir que toda a equipe da escola entenda que a relação com as famílias é responsabilidade de todos – inclusive professores. Vai precisar estimular as parcerias internas, sem as quais o coordenador de pais fica fadado a trabalhar de forma isolada e muito pontual.

 

Objetivo Geral

Reduzir os níveis de abandono, evasão, baixo desempenho, repetência e melhorar os índices de desenvolvimento interno e externos da escola.

Objetivos Específicos

- Desenvolver ações de aproximação da escola com as famílias, visando o sucesso do aluno;

- Desenvolver ações para a permanência dos alunos vulneráveis à evasão na escola;

- Articular contatos com as famílias, na escola e/ou nas residências, para que esta participe da vida escolar de seus filhos;

- Mapear e articular com as redes de prestação de serviços sociais básicos, o atendimento aos alunos e às famílias no bairro e no município.

 

Histórico do Projeto no Espírito Santo

Maio de 2012 - a Secretaria Estadual de Educação - SEDU realiza parceria com a Fundação Itaú Social, ES em Ação e Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças - FUCAPE e implanta um projeto piloto em 15 escolas dos aglomerados do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, projeto de Segurança Pública coordenado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos do Governo do Estado.

2013 - O Projeto é expandido para mais 19 escolas – total 33 escolas estaduais e 01 municipal.

Parceiros: Fundação Itaú Social; Instituto SINCADES; CBL Desenvolvimento Urbano; ASES – Associação dos Empresários de Serra; Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças - FUCAPE.

Apoio Institucional: ES em Ação.

2014 - O Projeto continua nas 33 escolas estaduais e 01 da Rede municipal, de Serra. No final de 2014, inicia mais duas escolas em Aracruz, patrocinadas pela FIBRIA, Carta Fabril e CBL Desenvolvimento Urbano. Total de 36 escolas.

Parceiros: Fundação Itaú Social; Instituto SINCADES; Instituto FUCAPE *criado em maio deste ano;

Apoio Institucional: ES em Ação.

2015 - O Projeto reinicia em 33 escolas e tem como patrocinadores: Fundação Itaú, Instituto Sincades; Fibria e Instituto FUCAPE.

Apoio Institucional: ES em Ação.

Entrada de Novo Parceiro: Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável - CIEDS, apoiador técnico contratado pela Fundação Itaú Social, com a atuação de um Coordenador Local, para tornar o acompanhamento/monitoramento do Projeto nas escolas ainda mais efetivo e frequente.